quarta-feira, 8 de dezembro de 2021

2 anos de blog - balanço

É impressionante como as coisas mudaram. Do final de 2019 para agora aconteceram tantas mudanças pessoais e profissionais que fica até difícil de resumir. Vou tentar fazer um breve balanço por temas:


- Trabalho/aposentadoria precoce: a ideia radical de parar de trabalhar 100% foi por água abaixo quando meu sócio, que tocaria sozinho minha vaca mais gorda, resolveu pular do barco ao final de 2020, justamente quando eu faria o mesmo. Sem poder deixar clientes à deriva, optei por continuar trabalhando até finalizar os contratos pendentes. Se Deus escreve certo por linhas tortas, esse ponto foi a prova porque percebi que uma ocupação com carga horária reduzida não só ajuda a me manter intelectualmente ativo e me sentindo “no mercado”, como me dá uma segurança financeira e psicológica maior diante de uma autodeclaração de FIRE em meio a uma pandemia que parece não ter fim e não ter alívio econômico tanto real quanto virtual/financeiro.


- Investimentos: nestes dois anos de blog vi meu patrimônio crescer 20%, o que não é grande coisa, considerando que a maior parte do crescimento veio de renda ativa. Curioso ver que o dólar estava R$ 4,05 no início do blog. Transformei minha carteira que era 100% crescimento em 45% geradora de renda recorrente (FIIs, imóveis e ações) e 55% em crescimento. É um patamar que já me presta renda o suficiente para o orçamento mensal e me deixa confortável de não perder o bonde do que possa vir a apreciar valor nominal expressivo. Dinheiro não deixou de ser uma preocupação, só mudou o foco de “como pagar as contas mês que vem” para “como manter a perpetuidade – pela inflação – do que já possuo hoje”. É uma preocupação pequena, mas não deixa de ser.


- Família/amigos: falando agora só do último aniversário do blog (dez/20 a dez/21), tive a felicidade de ver minha mãe se curando de uma doença e uma avó resistindo a cirurgias e tratamentos pesados e ficando com poucas sequelas permanentes; tive a infelicidade de perder dois avôs em curto período de tempo e de ver minha irmã não responder a diferentes tratamentos a uma doença que lhe gera dor e lhe tornam incapacitada para boa parte das atividades cotidianas, inclusive trabalhar, com menos de 40 anos de idade. Quanto a amigos, naturalmente perdi ou diminui contato com muitos em razão da distância física (e sanitária da pandemia, por que não?!), mas também fiz novos amigos por onde passei na vida nômade; tive o prazer de reencontrar alguns durante a viagem, seja indo a meu encontro de férias, sejam migrantes do RJ que hoje moram em alguma cidade que visitei. Decidi também, após muita deliberação pessoal, por cortar laços com alguns que nada acrescentam positivamente em nada há muito tempo. Essa última decisão foi um tanto difícil.


- Vida nômade: se no início da vida nômade a palavra-chave do sucesso era FLEXIBILIDADE, às vésperas de completar 1 ano, diria que INTENSIDADE foi o que definiu este período até então. A quantidade de experiências vividas e acumuladas foram quase por uma vida toda. Culturas, hábitos, estilos de vida, paisagens, educação, civilidade, segurança, saúde, privações, farturas, aparências e comidas diferem brutalmente dentre os locais que conheci nos últimos doze meses, me tornando extremamente privilegiado por vivenciar e poder absorver. Há pouco ouvi um balanço do Mad Fientist sobre os 5 anos de vida FIRE dele e me encontrei num lugar comum que ele mencionou: quanto tudo é extraordinário, fica cada vez mais difícil o regozijo. Depois da 10ª cachoeira, praia ou montanha visitada, por mais que cada uma tenha sua peculiaridade, a graça já não é mais a mesma. Agora, somente o MUITO diferente traz à tona a sensação que tinha no início da viagem a cada vez que via algo novo. Decidi (leia-se: a Sra. AC decidiu e eu concordei) que tive o bastante por ora e vamos fincar bandeira em algum lugar a partir de março/22. Até lá, a brisa segue soprando a vela.


- Disciplina: para o trabalho, nunca faltou e nem consigo me imaginar sem; para exercícios, houve uma inconstância gigante de disposição para me exercitar, por vezes passos vários dias seguidos fazendo exercício, por vezes passo semanas sem um abdominal sequer e, pra melhorar, comendo chocolate, fritura e cervejinha regularmente. A verdade é que, na parte da saúde e estética corporal, conto os dias para morar numa residência fixa, voltar pra uma academia, saber qual mercado compro bom hortifruti, etc. Pode acreditar: é bem mais difícil fazer isso tudo cada hora numa cidade nova e desconhecida (e muitas vezes sem estrutura alguma para manter boa alimentação ou local para se exercitar).


- Crescimento pessoal: há quase duas décadas sou consumidor de conteúdo para crescimento psicológico, evolução mental, auto-ajuda, chame como quiser. Não pretendo parar de consumir. Se por um lado acabei consumindo menos conteúdo assim no último ano, por outro tive maior tempo para digerir tudo que vivenciei e repensar diversas questões pessoais (como algumas amizades, tal qual mencionado acima). Quase sem notar, desenvolvi um hábito de me questionar e desenvolver hipóteses antes de tomar ações e isso me trouxe o problema de assim também fazer com quem converso, algo aparentemente incômodo – em mais de uma oportunidade, pessoas próximas falaram “não pedi sua opinião nem pra discutirmos a respeito, só estou te contando isso”. Fica a dúvida se estou sendo intrometido (algo que nunca fui e abomino) ou as pessoas só não querem suas ideias questionadas nestes tempos que todo mundo tem opinião pra tudo.


- Estatísticas do blog: nesses 2 anos de existências, foram 102.768 visitas, 66 postagens, 800 comentários. O post inicial (Trajetóriado AC) ainda é de longe o mais visitado, seguido por Offshore para investir no exterior, Maximalismo e O fim do capricho.


- Conclusões finais de 2º aniversário: o universo FIRE é absolutamente fascinante e algo que ao mesmo tempo foi ao encontro de muitos pensamentos que já tinha, ainda desorganizados, e também mudou minha vida, acrescentando uma tonelada de conhecimento, me fazendo conhecer pessoas incríveis (algumas até pessoalmente!), e fazer parte de uma comunidade virtual que é cooperativa e solidária.


Peço desculpas aos gatos pingados que ainda leem esse espaço, seja pelos quase 2 meses sem postar nada, seja pela mudança de pegada do blog, cujo primeiro ano teve um conteúdo muito mais técnico e neste segundo ano foi muito mais filosófico e baseado em opiniões pessoais.


Dando uma breve explicação da também omissão do Boteco Fire: iniciei o podcast com a condição de ter mais alguém pra tocar junto. O TR prontamente assumiu a missão e o Sapien Livre chegou em seguida, só que, assim como eu vivo a vida nômade, o TR também vive seu próprio nomadismo semi-sabático e o Gleison também viveu mudanças pessoais nos últimos meses. O Boteco acabou se tornando a última prioridade de todos nós, mas tenham certeza que ele não irá morrer.


Ao leitor, meu obrigado por gastar seu precioso tempo por aqui e meu muito obrigado se ainda comenta e interage. Ao amigo leitor e blogueiro, sempre que posso estou acompanhando sua trajetória e peço perdão por nem sempre comentar após a leitura.


Abraços

19 comentários:

  1. É uma pena terem parado temporariamente o podcast!

    Sempre acompanhava.

    abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá voltando! Também tive uma ideia de "Fire Shots", uns mini-episódios que tenham só 1 ou 2 falando, assim ficará mais fácil manter a frequência.
      Abraço

      Excluir
  2. Desanima não, bora voltar, seu blog é um dos melhores ai. Abc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Um dos melhores" nem eu acho! hehehhehe
      Obrigado pelo elogio, não pretendo deixar morrer o blog não, espero uma vida menos intensa em 2022 e com mais prioridade às reflexões e postagens.
      Abraço

      Excluir
  3. AC,

    A principal sensação que esse balanço de 2 anos passa é que apesar de tudo a sua vida parece mais leve.

    Saúde mental é tudo.

    Abraços,
    Pi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá sim, sem dúvidas, e espero que fique ainda mais em 2022 com a filhota entrando na escola e a gente fixado em algum lugar. Aí serão postos em prática os novos projetos.

      Abraço

      Excluir
  4. Boa tarde AC! Bom ver o seu retorno no blog e no boteco FIRE! Muito legal essa aventura de viver um pouquinho em cada lugar. Depois faz um post sob os principais lugares que vocês passaram o tempo e um top5 de lugares que você gostaria de morar pensando no FIRE! Será de grande valia!
    Grande abraço!
    VVI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi VVI, farei sim. Hoje faz exatamente 1 ano de vida nômade e irei passar os custos de moradia sobre cada lugar.
      Impressões pessoais sobre cada cidade passada é um pouco complicado, já que falar mal é garantia de haters e a paciência anda curta. Se quiser, depois a gente fala no particular sem problemas.
      Abração

      Excluir
  5. Amigo, já escutei vários episódios do boteco fire, o ultimo escutei hj mesmo, tá mt bacana, continuem!

    Vc tá viajando de carro ou de motorhome?
    Pelo que escutei hj deu até vontade de sugerir cidades para vcs morarem, tipo Ubatuba ou Angra, assim vc tá perto do mar e da serra e das grandes cidades. Outra cidade que acho bacana é Antonina, no Paraná, mas essa é bem pequena, tem mt natureza e mt mar pra velejar.
    Abraço e boa viagem!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Frugal! Estou de carro de passeio e ficando em Airbnb. Com criança e 2 cachorros eu achei que motorhome seria um perrengue desnecessário.
      Ubatuba não conheço ainda, estive só de passagem, mas Angra e Antonina/Morretes fui algumas vezes e são uma delícia pra turistar, mas enxergo várias questões que não me agradam para moradia.
      Tem cada lugar sensacional por aí que cada vez mais me convenço que o sonho de morar no exterior (que eu mesmo tinha até final de 2020) é fruto da ignorância que temos sobre nosso gigante Brasil.
      Abração

      Excluir
    2. Eu sou suspeito pra falar pq gosto mt de praia e tb surfo, mas morar na praia pode lhe dar várias atividades, como beach tenis, frescobol, treino na areia, velejar de veleiro, kitesurf, surf, mergulho, enfim tem duas dezenas de coisas pra fazer perto do mar, e criança, cachorro gostam mt. Outra região bacana é o litoral de SC, sendo no sul Garopaba/Imbituba mt bacanas e acima de Balneário Piçarras pra cima tb. Vc poderia postar fotos das paisagens por aqui hein? Abraço!!

      Excluir
    3. Boa ideia, vou postar umas fotos. Amei o litoral de SC, é muito agradável de se estar e muito tranquilo. Passei por todos esses lugares que você mencionou e nenhum deixou a desejar.
      Abraço

      Excluir
  6. Bom dia, AC.

    Nós quem agradecemos você compartilhar de maneira aberta e honesta sua jornada FIRE e as conversas do Boteco - que aliás tenho interesse de participar quando os cicerones estabilizarem suas rotinas.

    Abraço,
    Ceariba.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ceariba, manda um e-mail pra mim ou pro Boteco. Essa gravação pode sair já, vamos aproveitar o embalo e a gente bota no ar quando você quiser.
      Abraço

      Excluir
  7. ótimo post
    "uma ocupação com carga horária reduzida não só ajuda a me manter intelectualmente ativo e me sentindo “no mercado”, como me dá uma segurança financeira e psicológica maior" parece uma boa ideia

    "sem estrutura alguma para manter boa alimentação ou local para se exercitar)." aqui no RJ sempre tem self service em restaurantes de cidades do interior, mas se não tivesse o jeito seria carregar 1kg de whey na mala, pq o resto é facil de encontrar (carbo, fibras, gordura etc)

    talvez Mini Parallettes ajudem, pois cabem na mala; mas nunca usei:

    https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1218327593-mini-parallettes-crossfit-de-madeira-02-pecas-_JM?attributes=COLOR_SECONDARY_COLOR%3ATWFycm9t&quantity=1

    https://www.youtube.com/watch?v=ka3UQkf4S28

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Scant

      Eu tenho minha TRX aqui, só que uma hora fica meio enjoado repetir os mesmos exercícios. Essas Parallettes não me encheram os olhos, mas obrigado pela dica, não conhecia e não tinha "pescado" ela do Tools of Titans.

      Quanto à alimentação, várias cidades que passei tinham escassez de tudo, seja pra comer fora ou comprar no mercado. Em outras, a vontade de experimentar coisas novas (raramente fit/light) sempre prevalece, até por ser um aprendizado cultural. Confesso que, tirando vitaminas, desisti de vez de suplementar. O custo x benefício me parece cada vez pior (inúmeras experimentações pessoais).

      Venho focando cada vez mais na saúde que no atlético. Se antes a meta era pesar 90kg com até 13% de bf, hoje é pesar 75kg com até 8%bf. Há anos transito entre os 81kg e 87kg e os 11-16%bf. Voltando pra uma academia tradicional, que tenho maior tesão de frequentar, vou iniciar essa adaptação à nova meta física.

      Abraço

      Excluir
    2. " fica meio enjoado repetir os mesmos exercícios." bom, o problema é sua atitude mental e não os exercícios. faltou motivação ou coisa parecida.

      " tinham escassez de tudo" - suplemento é comida em pó. ainda é melhor um whey que um pedaço de embutidos, em caso de "desespero", mas o melhor é proteína "in natura"

      "81kg e 87kg e os 11-16%bf" - acho que até uns 12-14% seria o saudável. pra vc manter 8% o ano inteiro vai ter fazer dieta em tempo integral e treinar direto e tudo isso pra atingir um percentual de gordura que não te garante mais saúde apenas por ser alguns dígitos mais baixo.

      fora que quase ninguém se mantem com um BF tão baixo sem drogas e/ou suplementos, salvo o Frank Zane em tempos áureos.

      abs!


      Excluir
  8. O Podcast é muito bom, é um oásis para os aspirantes a FIRE! A aventura nômade poderia render vários episódios. Abs!


    https://ficandotranquilo.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  9. Show de bola hein. Parabéns pela trajetória e por manter o blog. Sempre tem informações importantes para quem está na caminhada FIRE e também para quem quer a vida nômade.

    Abraço!

    ResponderExcluir