terça-feira, 20 de outubro de 2020

Enfim, nômade!

Caso ainda não tenha ficado claro, meu plano pós-fire (que virou semi-fire em razão de eventos ocorridos esse ano) sempre foi virar nômade.


O plano original, traçado há cerca de 2 anos, era morar alguns meses no Uruguai e cerca de 2 anos na Europa, iniciando em dezembro de 2020.


A pandemia fechou as fronteiras para turistas e, pelas minhas pesquisas, é provável que reabram no Uruguai até o final do ano, mas com inúmeras restrições, e na Europa a perspectiva (ao menos para brasileiros) é para o segundo semestre de 2021.


Como aprendi com o bate-papo no podcast do Sr. IF365, gravado em setembro/2019, quando achava que meu planos eram sólidos, flexibilidade é o mais importante para a vida FIRE.


Mesmo com as fronteiras abertas, o câmbio do euro a praticamente R$ 7,00 deu uma bela desanimada na experiência europeia, já que o intuito era adquirir experiência da cultura local para, gostando, morar lá.


Conforme algumas comparações de custo de vida que realizei confrontando Rio e São Paulo com algumas cidades de interesse para possível moradia na Europa, para um mesmo padrão de vida lá, a cidade mais barata teria um custo 80% maior e a mais cara 160% maior, isto é, o padrão de vida com R$ 10.000,00 em São Paulo teria um custo de R$ 26.000,00 em algumas cidades européias. Viva o câmbio!


Não é que o sonho europeu tenha acabado, até porque, tão logo as fronteiras reabram, pretendo carregar a família para passar pelo menos 18 meses no velho continente, mas o fator “custo de vida” terá ainda mais peso na hora de decidir aonde estacionarmos após os próximos 30 meses na estrada.


Enfim, adotei a flexibilidade e em dezembro começará a jornada: todos os bens da família caberão dentro de um carro SUV (à exceção de poucos itens sentimentais que ficarão nas casas dos meus pais e sogros) e, oficialmente, não terei mais residência fixa. As três primeiras paradas já tem reserva feita, até meados de fevereiro/2021.


Uma dificuldade será mudar meu pensamento em definitivo para não ficar buscando trabalho quando há tempo livre (o que ainda faço atualmente) e delegar para meus parceiros tudo que surgir sem nem saber do que se trata (hoje eu faço um funil 90% das vezes). Espero que consiga e me ocupe em NÃO trabalhar não só nos primeiros dias em cada cidade (já que com turismo e guloseimas eu consigo me distrair fácil).


Prometo que seguirei atualizando o blog em tempo quase real dos lugares que eu passar e dividir um pouco das experiências, especialmente sob a ótica FIRE.


Falando em finanças, me aposento parcialmente com patrimônio abaixo do pretendido, porém com ativos de renda passiva (FIIs, FIPs e ações pagadores de dividendos) já estou conseguindo receber cerca de 60% dos gastos mensais (custo no Brasil) alocando cerca de 20% do patrimônio. O plano é dobrar ambos os números (rendimentos passivos recorrentes e alocação de patrimônio) em menos de 1 ano, de modo que a renda passiva ultrapasse as despesas mensais, ao passo que de 50 a 60% do patrimônio sirva para ganho de capital (batendo a inflação de sobra, espero) através de investimentos diversos: imóveis, investimentos no exterior, previdências e fundos multi-estratégias, nesta exata ordem de importância (frente à minha experiência em cada).


Abraços a todos!

14 comentários:

  1. Muito bom meu parço, fico aqui todo esperançoso com essa nova "fase" da sua vida. Fazer desse espaço aqui agora um blog de um FIRE nomade, vai ser foda! Meu tempo também já tá chegando hehe

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo incentivo! Nessas andanças pelo mundo vou tentar marcar um café com os amigos da comunidade Fire e você tá na lista, é claro!
      Abraço

      Excluir
  2. Estamos todos aqui na torcida por você na nova vida.

    Nunca conheci o velho mundo, mas na hora que eu tiver condições, tempo e um câmbio favorável (será utopia?) eu quero conhecer. A vida na Europa é maravilhosa e por mais que muitos digam que "é mais caro viver, mas a qualidade de vida vale a pena" é preciso lembrar que pode valer a pena, mas tem que colocar na planilha do mesmo jeito. É preciso bancar a vida no velho mundo e ninguém deve se deixar levar apenas pelos sonhos, tem que ter pé no chão. Fico feliz em saber que reconhece o momento não tão favorável para a Europa.

    Abraços,
    Pi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, PI!

      Já conheci Espanha e França (2x) e, de fato, é outro mundo. Tem que pesar bem se vale ter uma vida de classe média baixa lá (com mais preocupações financeiras e saudades da família e amigos) ou classe média alta aqui (com mais preocupações com segurança, serviços e maior trabalho/custo para viagens).

      O momento realmente não é nada propício, mas também não há necessidade de radicalizar, seja desistindo de tudo (como o Sr. IF) ou morar lá a todo custo (o que seria um baita risco).

      Abraço

      Excluir
  3. Fico bastante feliz por já colocar em prática os seus planos. Torço para que tudo dê certo e certamente iremos nos encontrar em algum lugar desses aí, rs.

    Abraços e parabéns!

    ResponderExcluir
  4. E aí AC que notícia boa, continha sim contando pra gente as aventuras. Como vc disse aí acima pro Poupador do interior tudo é questao de escolha, ganha uma coisa e perde outra. Em geral morar na Europa querendo ter um padrao classe media do Brasil é caríssimo. Ninguem tem empregada, ninguem mora em predio com piscina, ninguem manda arrumar carro arranhado ou amassado, nao fazem churrasco todo fim de semana, poucos tem varanda na casa e varanda com churrasqueira entao é só pra jogador de futebol tipo Cristiano Ronaldo. É outro estilo de vida. Nao desista, se adapte e procure tirar o melhor de cada lugar. Boa viagem !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Vagabundo! O cronograma inicial foi desfeito, mas "ganhei" um ano a mais pra decidir sobre fixar residência aí no velho mundo. Nesse meio tempo, quem sabe não consigo um upgrade de patrimônio e uma tranquilidade financeira maior pra gastar em euro?
      A gente se esbarra por aí de repente.
      Abraço

      Excluir
  5. Respostas
    1. Voos frequentes, rápidos e baratos para o BR, possibilidade de cruzar a fronteira em menos de 3h (para resolver problemas em bancos e agências do governo, por exemplo), segurança (não iria morar na capital), qualidade de ensino e saúde (privadas), clima agradável com estações em definidas, custo de vida semelhante a uma grande capital brasileira.

      Excluir
  6. ÊÊEE que legal AC, faça o favor de atualizar o blog mesmo heim, será muito divertido acompanhar essa sua nova fase, uma aventura e tanto! Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixe comigo! Não sei se terei prioridade (tempo eu terei) para atualizar em tempo real, mas tenham certeza que irei dar minhas impressões de cada lugar (e da jornada financeira) mesmo que com algum delay.
      Beijos

      Excluir
  7. Feliz de mais em saber que é possível. Que cada pessoa que atinge FIRE motiva que mais pessoas se inspirem e corram para fazer o mesmo. Muita sorte e felicidade nessa nova fase de vida, meu amigo!!

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!!! Irei atualizando vocês todos e passando a real sobre o que foi renda ativa, passiva e despesa.
      Abração

      Excluir