sábado, 25 de janeiro de 2020

Noronha, Príncipe Harry e como NÃO ser FIRE


O Sr. IF 365, que gosto muito e admiro, há pouco postou divagações sobre o Príncipe Harry e sua saída da família real, que estaria abrindo mão da independência financeira (veja https://www.srif365.com/post/o-conto-de-fadas-da-independ%C3%AAncia-financeira-%C3%A0s-avessas). Ouso discordar. O príncipe possui patrimônio pessoal de 30 milhões de dólares, quantia suficiente para ser muito difícil gastar em uma só vida, mesmo fazendo grande esforço.

Traçando um paralelo mais próximo de como NÃO ser FIRE, hoje li a notícia da morte de Sérgio Noronha, ex-comentarista de futebol da Globo que quase todo mundo com mais de 25 anos deve ser recordar:

Achei extremamente curioso ler que ele estava morando no Retiro dos Artistas. O que houve com a grana dele?

Destaco os seguintes trechos da matéria:

“(...)ouviu de Lena, funcionária dele”; “perambulou meio sem rumo por Ipanema, bairro onde morava no Rio”; “morreu, vítima de uma parada cardíaca, aos 87 anos”; “levar o jornalista ao Retiro dos Artistas, onde vive sob cuidados de 2018 a janeiro de 2020”; “Eu reformei a casa toda, com ar condicionado, geladeira. Aí todo mês eu ajudo, ele não tem família para ajudar’, contou Arnaldo em julho de 2019”;
 A aparição dos problemas de saúde coincidiu com o agravamento da situação financeira. Sérgio Noronha não contava com nenhum familiar próximo”;
"Ele se aposentou com aquele 'salariozinho'. Vendeu um apartamento na Barra, e o gerente do banco falou o seguinte: 'Aplica o dinheiro, mais o dinheiro da aposentadoria e você vai vivendo'. Só que ele morava em Ipanema, num apartamento alugado, e o dinheiro do banco acabou", contou Arnaldo Cezar Coelho. "O Sergio adorava Ipanema, o negócio dele era Ipanema. Ele não queria saber de Barra da Tijuca. Então, não é que ele tenha perdido. O Sérgio deixou de ter as coisas ao longo da vida, porque ele gostava de sair, de frequentar bons lugares, de se vestir muito bem. Ele não teve muito cuidado com investimento

Deu pra sacar, não é? Noronha foi jornalista a vida toda e, por anos, funcionário do Grupo Globo, onde certamente ganhava bem acima da média da população, entretanto, não se preocupou em criar reserva financeira para sua aposentadoria e fazia questão de morar em um dos bairros mais caros do Rio de Janeiro, levando um estilo de vida que não poderia comportar por longos anos. Se morresse cedo, não teria passado maiores problemas, mas não escolhemos (ou não deveríamos escolher) quando morrer.

Apesar do patrimônio razoável que em algum momento teve, nos últimos anos de vida Noronha morou num asilo de baixo padrão (pesquise mais sobre o Retiro dos Artistas) e contando com a ajuda de amigos, situação agravada por estar doente.

Entendo que é difícil ao trabalhador médio brasileiro ser FIRE, pois dependeria de grandes abdicações e a escolha de um padrão de vida bastante baixo para que seu patrimônio ao declarar IF seja perpétuo, todavia, para uma pessoa como Sérgio Noronha, ser IF o resto da vida seria algo de extrema facilidade, com um mínimo de orientação correta e consciência do estilo de vida que deveria levar.

Mesmo que você não consiga se aposentar cedo, tenha em mente que a manutenção da independência financeira, mesmo obtida numa idade mais “normal” (entre 60 e 70 anos), depende da sua mentalidade e planejamento para que, mesmo no final da vida, você não dependa de fatores externos para sobreviver.

Noronha era uma figura querida e, pessoalmente, gostava muito de seu trabalho na TV. Desejo meus mais sinceros sentimentos à quem fosse próximo.

Abraços a todos e bons investimentos.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Qual desejo veio primeiro: independência financeira ou aposentadoria?


É fato que aposentadoria sem renda (proveniente de investimentos, governo ou previdência privada) é impossível, mas e quanto ao desejo de aposentar?

Existem pessoas de todos os tipos: os que aposentam e continuam trabalhando por necessidade; os que aposentam e continuam trabalhando para ocupar o tempo; os que são independentes financeiramente e continuam trabalhando; os que são independentes financeiramente e não fazem qualquer trabalho remunerado...

A pergunta do dia é: o que veio primeiro? A vontade de aposentar ou a vontade de ser independente financeiramente?

O AC, por exemplo, sempre pensou primeiro em aposentar. Não que ele odeie trabalhar, mas ele sempre admirou a vida de quem tem tempo para fazer o que bem der na telha. Desde seu primeiro trabalho, aos 16 anos, ele já pensava “imagina só, eu em casa, à toa”. Ironicamente, atualmente é praticamente independente financeiramente, mas continua trabalhando full time - até dezembro/2020, quando irá declarar FIRE e, ainda mais ironicamente, continuará trabalhando em seu atual trabalho secundário (que demanda cerca de 30h flexíveis e online de trabalho por mês).

A independência financeira então se tornou uma consequência da aposentadoria antecipada, e não uma causa

E você? O que você desejou primeiro?

domingo, 19 de janeiro de 2020

Blogs e canais favoritos


Há outros blogs e canais que também vejo, mas menciono a seguir os que acesso com mais frequência e o conteúdo mais me agrada. Sem muita delonga, seguem meus favoritos:

Blogs nacionais:

Blogs gringos:
https://firehub.eu/  (não é um blog, mas é uma página que elege diversos posts de outros blogs de FIREes europeus)

Canais nacionais no Youtube:
André Bona
Canal do Holder
Fernando Ulrich
Gustavo Cerbasi
MAIS 50

Canais gringos no Youtube:
Ben Felix
FightMediocrity
Graham Stephan
Matt D'Avella
Our Rich Journey
Retire Earlier and Better

Deixe nos comentários seus blogs e canais favoritos! Vamos compartilhar nossas fontes de conhecimento.

domingo, 12 de janeiro de 2020

A importância do inglês (e outros idiomas) para o FIRE


Mais de 50% da internet está em inglês (fonte: Google), mas acho que esse número é ainda maior. O conteúdo da comunidade FIRE deve ser de, pelo menos, 80% na língua inglesa (diversos membros tem blogs e canais em inglês, mesmo não sendo de países anglófonos). O mercado financeiro os EUA – e consequentemente livros, publicações e estudos em inglês – tem representatividade maior que praticamente todos os países emergentes juntos (dentre eles o Brasil).

Meu amigo, minha amiga: já deu pra perceber a importância de saber outro idioma, especialmente inglês, certo?

Mesmo os materiais em que há tradução para português, muitas vezes são traduzidos com anos de defasagem (quando são traduzidos) e, por vezes, com perda de significado ou contextualização na tradução. 

Se você quer ser um FIRE completo ou, pelo menos, um investidor com grande conhecimento, aprenda, no mínimo, inglês. Se possível, também aprenda línguas de grande expressão no mundo (e no mundo das finanças), como espanhol, francês e mandarim. Quer alguns exemplos (que só vai entender quem sabe o idioma) do que você está perdendo?

Excelente blog sobre FIRE em inglês: https://www.madfientist.com/
Excelente blog sobre investimentos em inglês: https://www.iwillteachyoutoberich.com/blog/
Excelente canal sobre FIRE em inglês: Retire Earlier and Better (pesquise no YouTube)
Excelente canal sobre investimentos em inglês: Ben Felix (pesquise no YouTube – em tempo, ele é canadense. Pra você que acha que, quando falo em “conteúdo em inglês”, me refiro apenas a americanos, tem inúmeros canadenses, ingleses, europeus e asiáticos postando conteúdo somente em inglês)

Excelente blog em espanhol: https://losrevisionistas.wordpress.com/

Dedique algumas horas por semana para estudar um novo idioma que tenho certeza que se abrirá um MUNDO novo de conteúdo para você.