sexta-feira, 22 de maio de 2020

Casamento com Separação de Bens

Em alguns posts e comentários da blogosfera vejo um bocado de discussão a respeito do regime de separação de bens no casamento, baseado em “achismos”.


Há um tempo eu vinha coletando informações sobre vistos e cidadanias em vários países e me deparando com uma infinidade de desencontro ou desatualização de informações, tanto em portais grandes como em blogs, gringos e nacionais, até que eu parei pra refletir: por que eu não vejo a lei diretamente do país? Isso fez TODA a diferença. Sites de consulados, embaixadas e código de estrangeiros de certos países tem leitura relativamente fácil e o google tradutor ajuda bastante quando foge algum termo (lembre-se da importância de saber inglês e outras línguas, conforme expus em https://www.aposentecedo.com/2020/01/a-importancia-do-ingles-e-outros.html

 

O brasileiro tem medo de lei e acha alguém metido quando fala “artigo tal, parágrafo primeiro, inciso dois, alínea B”. Não tem muito mistério em aprender o que é o quê. Quando criança eu tinha dificuldade em entender números ordinários e só sabia até o vigésimo; demorou, mas aprendi.

Voltando ao tópico, vamos ao que diz a lei (Código Civil) sobre casamento por separação de bens:

Art. 1.641. É obrigatório o regime da separação de bens no casamento:

I - das pessoas que o contraírem com inobservância das causas suspensivas da celebração do casamento;

II – da pessoa maior de 70 (setenta) anos;    

III - de todos os que dependerem, para casar, de suprimento judicial.

 

Art. 1.687. Estipulada a separação de bens, estes permanecerão sob a administração exclusiva de cada um dos cônjuges, que os poderá livremente alienar ou gravar de ônus real.

Art. 1.688. Ambos os cônjuges são obrigados a contribuir para as despesas do casal na proporção dos rendimentos de seu trabalho e de seus bens, salvo estipulação em contrário no pacto antenupcial.

Art. 1.829. A sucessão legítima defere-se na ordem seguinte:     (Vide Recurso Extraordinário nº 646.721) (Vide Recurso Extraordinário nº 878.694)

I - aos descendentes, em concorrência com o cônjuge sobrevivente, salvo se casado este com o falecido no regime da comunhão universal, ou no da separação obrigatória de bens (art. 1.640, parágrafo único); ou se, no regime da comunhão parcial, o autor da herança não houver deixado bens particulares;

II - aos ascendentes, em concorrência com o cônjuge;

III - ao cônjuge sobrevivente;

IV - aos colaterais.

 

Resumindo quem casou com separação de bens:

Separou/divorciou – não há partilha de bens.

Morreu – esposo(a) sobrevivente recebe em proporção igual aos dos filhos.

 

Vale lembrar que para casar com separação convencional de bens (e para comunhão total de bens também!) é necessário fazer um pacto antenupcial, algo bem simples e que os cartórios possuem modelos prontos.

Lembre-se: SEMPRE pesquise de fontes oficiais.

Abraços

sexta-feira, 1 de maio de 2020

Balanço Abril/2020 + O que eu tenho feito na quarentena

A grande alegria é que superei a marca dos 5M! A disparada do dólar ajudou um bocado nisso, apesar de eu preferir que o dólar se mantivesse na faixa dos R$ 4,00. Status patrimonial atual:

R$ 373.901,98 – colchão de segurança em conta bancária 100% CDI

R$ 142.147,20 (US$ 26.130,00) – bonds nos EUA

R$ 574.385,50 (US$ 105.585,57) – fundos multimercados nos EUA

R$ 93.568,00 (US$ 17.200,00) – REITs

R$ 54.163,32 – debêntures

R$ 120.701,00– ações

R$ 531.243,59 – fundos multimercados

R$ 31.878,42 – COE

R$ 259.349,56 – renda fixa privada pré-fixada

R$ 633.388,97 – FIIs

R$ 402.456,79 – previdências privadas (soma das duas)

R$ 40.000,00 – valor estimado do veículo

R$ 515.000,00 – empréstimos feitos a terceiros

R$ 1.598.500,00 – imóveis (valor estimado de venda)

TOTAL: R$ 5.140.684,33

Total sem imóveis: R$ 3.542.184,33

Total em dólares: US$ 944.978,74

TSR 4%: R$ 17.135,61/mês

---



Em maio espero receber de volta 500k que emprestei e pretendo aportar cerca de 25k dólar em investimento no exterior. Mesmo com esse câmbio galopante, acho que ainda será uma boa decisão, pois tudo leva a crer que a tendência é passar dos R$ 6,00 até o final desse ano.

O saldo do empréstimo liquidado pretendo aportar tudo em ações, fazendo swing trades, position e daytrades.

Desde o início da quarentena, voltei a estudar o mercado e tenho operado diariamente, fazendo daytrades (mais do que deveria) e swings.

Em abril consegui ganhar R$ 14.302,44 em operações de swing trade e prejuízo de - R$ 109,04 no daytrade (em março o ganho foi de R$ 10.188,72 do daytrade, então tá valendo).

A melhor compra que fiz nessa quarentena foi uma fita de suspensão (TRX genérica). Dá pra fazer inúmeros exercícios e tenho me sentido bem com ela a ponto de cogitar nem voltar pra academia quando acabar o isolamento.


Saúde a todos e fiquem bem!


sexta-feira, 17 de abril de 2020

A maravilha chamada Feedly

Pessoal, eu sabia que existia, mas nunca tinha usado. Achei incrível o app Feedly e sei que tem outros idênticos que servem pra agregar diversos blogs/sites que você acompanha (depois de um moderado trabalho inicial de cadastrá-los).

O app mostra as postagens condensadas de todos os blogs de seu interesse, você pode etiquetar por tema (eu, por exemplo, uso as tags "Fire", "investimentos", "diversão"...) e marcar o que já leu, o que quer salvar pra mais tarde, o que quer salvar permanente para leituras futuras, dentre outras funções que estou explorando.

O app é grátis e não estou ganhando nada com essa postagem, apenas divulgando para aqueles que talvez não conheçam, pois achei excelente não ter que perder tempo entrando de blog em blog pra ver se tem postagem nova.

A propósito, se alguém souber me ajudar: não consigo encontrar meu próprio blog - e mais uns 2 ou 3 que acompanho - pelo aplicativo, sabem como consigo ficar "visível" na busca? Nas configurações aqui o blogger ele está com permissão para visibilidade total...

Abraços a todos e fiquem em casa!

quinta-feira, 9 de abril de 2020

Balanços março e abril/2020 + Tempos de COVID


Balanços Março e Abril

De fevereiro pra março houve evolução patrimonial de 1,42%:
Patrimônio atualizado 01/03/2020


R$ 46.000,00 – colchão de segurança em conta bancária 100% CDI

R$ 117.365,25 (US$ 26.197,60) – bonds nos EUA

R$ 482.766,64 (US$ 107.760,41) – fundos multimercados nos EUA

R$ 109.625,60 (US$ 24.470,00) – REITs

R$ 53.509,24 – debêntures

R$ 809,10 – ações (costumo fazer swing trade e só tinha isso de posição na data)

R$ 833.362,74 – fundos multimercados

R$ 31.710,51 – COE

R$ 30.332,00 – renda fixa privada pré-fixada

R$ 682.016,87 – FIIs

R$ 694.652,00 – fundo D+1 rendimento 120% CDI para oportunidades rápidas de negócios (imóveis ou ações)

R$ 409.126,66 – previdências privadas (soma das duas)

R$ 40.000,00 – valor estimado do veículo

R$ 40.000,00 – empréstimos feitos a terceiros

R$ 1.425.500,00 – imóveis (valor estimado de venda)

TOTAL: R$ 4.996.776,60


TSR 4%: R$ 16.655,92/mês

Eis que chegou o COVID, a crise, o colapso de tudo, o desespero. Tive a “felicidade” de emprestar 500k a um amigo 1 semana antes de começarem as quarentenas, ou seja, esse dinheiro estaria aplicado em alguma coisa que iria diminuir seu valor no curto prazo. O empréstimo deverá ser liquidado até o final de abril e com juros de 1%! Aqueles momentos de sorte na vida (além da coragem de emprestar meio milhão pra alguém só com um papo de whatsapp e uma transferência online, sem qualquer outra garantia – não recomendo que façam isso, leitores!).
Considerando meus rendimentos de março pra abril, consegui amortizar bem a queda patrimonial em meros 2,28% de prejuízo (posição em 01/04/2020):

R$ 100.976,00 – colchão de segurança em conta bancária 100% CDI (aumentei significativamente meu colchão de disponibilidade por causa do cenário)

R$ 127.946,00 (US$ 24.700,00) – bonds nos EUA

R$ 512.184,67 (US$ 102.436,93) – fundos multimercados nos EUA

R$ 80.290,00 (US$ 15.500,00) – REITs

R$ 53.841,84 – debêntures

R$ 488,25 – ações (costumo fazer swing trade e só tinha isso de posição na data)

R$ 744.253,86 – fundos multimercados

R$ 31.790,36 – COE

R$ 30.307,67 – renda fixa privada pré-fixada

R$ 662.441,24 – FIIs

R$ 388.052,76 – previdências privadas (soma das duas)

R$ 40.000,00 – valor estimado do veículo

R$ 515.000,00 – empréstimos feitos a terceiros (recebi um deles durante março!)

R$ 1.598.500,00 – imóveis (valor estimado de venda – adquiri mais um no início de março)

TOTAL: R$ 4.886.072,65


TSR 4%: R$ 16.286,91/mês

O prejuízo foi muito amortizado pela disparada do câmbio, que foi maior do que o prejuízo em dólares. Curioso como os REITs, que são os fundos imobiliários de lá, tiveram uma queda extremamente brutal e rápida (e seguem caindo enquanto escrevo isso). 

A disparada do câmbio atrapalha muito meus planos de FIRE que serão iniciados no final desse ano (que envolve um sabático no exterior) e desestimula novos aportes, principalmente com o mercado americano também totalmente indefinido e caminhando pra uma recessão. Só aguardando pra ver.
Também consegui “segurar o prejuízo” graças à compra de um imóvel com valor bem defasado, que resultou num ganho quase imediato de 40% sobre a aquisição (contemplando o valor pessimista esperado de venda). 

No desespero e praticamente sem trabalho por causa do COVID, já que minha área está praticamente sem acesso até final de abril, retomei às atividades de “trader” (também não recomendo), estressantes e inseguras, já que quando você ACHA que sabe o que tá fazendo, vem o mercado e te dá uma rasteira contra a tendência (o que tá ocorrendo dia sim, dia não). De toda forma, a atividade se mostrou produtiva em março, pois consegui fazer pouco mais de 10k líquidos com os trades (sem qualquer aporte, só com daytrade).

Por fim, estou desde dezembro na risca dos 5 milhões e o número não bate de jeito nenhum, que raiva! Meu plano de declarar FIRE com 6M também foi praticamente pra vala; só um milagre pra me fazer juntar isso até o final do ano.

Boa sorte a todos nesse período maluco que vivemos, fiquem em casa e ajudem quem precisa, seja financeiramente, seja com seu tempo.

sábado, 28 de março de 2020

Sem tempo pra crise


Mais de 1 mês sem postar e só me dei conta agora!

Explico: viajei no carnaval para a casa dos sogros em outro Estado, consumindo a alegria em família e explorando blogs Fires que não conhecia.

Voltando do Carnaval, tive 3 dias para organizar algumas coisas de trabalho e parti 7 dias para uma viagem para Bonito/MS, lugar incrível! Vale a visita de todos vocês. Com atividades praticamente 24h e com criança pra cuidar, não me sobrou tempo algum.

Retornando de Bonito, tive 5 dias para organizar uma mudança de residência e bairro, saindo de uma casa imensa (mais de 400m²) para um apartamento de 80m². Dá pra imaginar a quantidade de coisas que “tive” de vender e doar. “Tive” porque a mudança faz parte de um plano maior que engloba a decretação de FIRE ao final desse ano e partir rumo a uma jornada internacional tendo como bens somente roupas e brinquedos que couberem em ATÉ 3 malas de 32kg. Minha esposa teve a sábia decisão de anteciparmos esse processo em grande parte e alugamos o apartamento atual por uma temporada de 9 meses.

Além de todo o trabalho da mudança (e trabalho rolando como pano de fundo), ainda tive alguns imprevistos como ficar sem gás nem internet por 4 dias, ter de fazer um razoável reparo elétrico no apartamento novo (queimaram 2 eletrodomésticos meus por falha da rede), dentre outros pormenores (furar parede, arrumar a mudança, etc, etc).

Eis que chegou a quarentena.

Iniciou-se então a correria para ter suprimentos para, pelo menos, 3 semanas. 

Recebi a notícia de que, por fatores externos inerentes à quarentena, ficarei praticamente sem renda até o final de ABRIL.

Domingo passado fiz uma breve consulta a meus investimentos e, tanto no exterior quanto aqui, houve uma expressiva redução de patrimônio. Fechei rápido e “me dei” até 01/04 para fazer o tradicional balanço e ver se tenho algum ganho no período.

Passei a semana estudando e operando na bolsa, coisa que não fazia há anos, especialmente em trades curtos e, felizmente, me dei razoavelmente bem, principalmente ao considerar que só operei com conta margem, isto é, não tenho 1 real na conta da corretora efetivamente e fiz somente Day-Trades ou usei a margem em até D+2.

Zerei o resto de trabalho pendente que tinha, diante da suspensão decretada até 30/04.

Assim, somente hoje que consegui respirar e enxergar: a crise chegou. Durante a semana recebi um contato do Sr. IF 365 para falar como estou lidando com a crise, visto que já participei de um podcast no blog dele, porém nem soube responder por tudo que expus acima.

Isso tudo é só pra dizer que o blog não morreu e em breve haverão atualizações, mas até agora a vida real não tinha dado espaço à virtual.

FIQUEM EM CASA e saúde a todos. Lembremos do que é mais importante neste momento.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

O que te move a ser FIRE?


O trabalho do AC é regional. Se ele mudar pra uma cidade a mais de 100km de distância (e precisar trabalhar), terá que reiniciar do zero sua carteira de clientes ou voltar a ser empregado (o que não deseja, pois não é empregado há mais de 10 anos).

O que move o AC a ser FIRE é poder ser livre para morar aonde quiser. O desejo, até o momento, é morar em algum país da União Europeia pra utilizar como “base” e ter oportunidade de fazer diversas viagens low cost por países da Europa, norte da África e Ásia. Tudo isso com tempo livre pra dar mais atenção à família, tocar música (o AC arranha uns instrumentos), aprender novos idiomas (AC é metido a poliglota) e novas habilidades.

No longo prazo, se a vida FIRE demonstrar, após uns 10 ou 15 anos, que haverá saldo financeiro de sobra para a vida, o desejo do AC é fazer doações cada vez mais robustas para pessoas queridas e necessitadas e instituições sérias do Brasil (hoje isso já acontece, mas em valores bem pouco expressivos diante do patrimônio do AC).

Quais suas motivações para ser FIRE? Deixe aí nos comentários.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

A forma mais fácil de ser FIRE (seu tio é FIRE e você não sabia)

Talvez você nunca tenha se ligado, como eu não tinha até hoje. Você provavelmente tem um parente ou algum conhecido FIRE sem que ele mesmo saiba que é FIRE.

O conceito básico de FIRE é: ter dinheiro para se manter sem precisar trabalhar e se aposentar "cedo". Por "cedo", a interpretação mais comum é "antes da média". Considerando que o brasileiro se aposenta por volta dos 65 anos, acho justo dizer que se aposentar com 59 anos ou menos é "cedo".

TODO trabalhador que atua em ambiente insalubre ou perigoso recebe adicional de insalubridade ou periculosidade, tendo como benefício a aposentadoria especial com 25, 20 ou apenas 15 anos de serviço (de acordo com o grau de insalubridade ou periculosidade do ambiente de trabalho). Essa regra está na CLT e visa compensar o desgaste na saúde do trabalhador ao longo da carreira e evitar maiores danos.


Como há graus diferentes de exposição ao perigo ou ambiente insalubre, em casos mais agudos é possível se aposentar com somente 20 ou 15 anos de contribuição! Fonte oficial do INSS:
https://www.inss.gov.br/beneficios/aposentadoria-especial-por-tempo-de-contribuicao/


Eu mesmo tenho um tio que trabalhou a vida toda numa usina e se aposentou aos 46 anos - e eu nunca tinha me tocado que ele era FIRE. Ele chegou a trabalhar como "consultor" durante uns 3 anos após aposentar, mas depois parou de vez e vive sua vida tranquila e feliz, com aposentadoria somada do INSS e a complementar/privada que a empresa oferecia.

Não é uma equação muito difícil. A nossa geração viu o boom da área petroleira, por exemplo, e muitos mudaram de profissão ou fizeram cursos técnicos para trabalharem "embarcado" - e todo trabalhador embarcado recebe adicional de periculosidade.

 Fica a dica pro leitor ainda jovem ou que está pensando em mudar de carreira: se especializar em uma atividade que receba um dos adicionais mencionados é um dos caminhos para atingir, pelo menos, a aposentadoria precoce.

Abraços

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Carteira do Aposente Cedo - 01/02/2020


Sem muitas delongas, vamos à carteira do Aposente Cedo, tão pedida nos comentários de posts anteriores:

Patrimônio atualizado 01/02/2020

R$ 35.166,43 – colchão de segurança em conta bancária 100% CDI
R$ 114.724,12 (US$ 26.804,70) – bonds nos EUA
R$ 477.232,63 (US$ 111.502,95) – fundos multimercados nos EUA
R$ 115.688,40 (US$ 27.030,00) – REITs
R$ 53.191,30 – debêntures
R$ 900,55 – ações (costumo fazer swing trade e só tinha isso de posição na data)
R$ 918.408,68 – fundos multimercados
R$ 33.933,24 – COE
R$ 31.302,14 – renda fixa privada pré-fixada
R$ 427.924,12 – FIIs
R$ 804.590,20 – fundo D+1 rendimento 120% CDI para oportunidades rápidas de negócios (imóveis ou ações)
R$ 408.042,62 – previdências privadas (soma das duas)
R$ 40.000,00 – valor estimado do veículo
R$ 40.000,00 – empréstimos feitos a terceiros
R$ 1.425.500,00 – imóveis (valor estimado de venda)
TOTAL: R$ 4.926.604,42

TSR 4%: R$ 16.422,01/mês

Curiosamente, o valor da carteira diminuiu devido a gastos assombrosos em dezembro e janeiro (viagens), absolutamente incompatíveis com a jornada FIRE, porém de grande valor pessoal.

Abraços a todos e rumo à RE, pois a FI já chegou se baixar pouca coisa no padrão de vida.